SELECT * WHERE {?s ?p ?o} LIMIT 1
Estou em:   Início » Secti realiza a IV Feira ...

Tamanho do texto:   Tamanho do texto menor Tamanho do texto normal Tamanho do texto maior   

Secti realiza a IV Feira Estadual de Ciência e Tecnologia

Quando e onde você pode encontrar a maior reunião de conhecimento científico e tecnológico no Pará? A resposta é simples: de 19 a 21 de outubro na IV Feira Estadual de Ciência e Tecnologia. O evento acontece na Estação das Docas e este ano tem como homenageada a pesquisadora paraense Clara Pandolfo, química referência nos estudos da biodiversidade na Amazônia. A entrada é gratuita e as inscrições serão realizadas via internet no site www.semanact.pa.gov.br a partir do dia 10 de outubro.


Distribuídas em uma área com mais de 60 mil metros quadrados, estão previstas mais de 30 atividades entre exposições, observações astronômicas, palestras e oficinas voltados para estudantes e para outros públicos, além de atrações culturais. Nos três dias de evento estima-se cerca de 15 mil visitantes.


No Pará, a Feira de C&T representa a principal atividade da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). A realização do evento em âmbito local fica a cargo dos governos estaduais e municipais. E desde 2007, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) é a responsável pela realização da Feira Estadual de C&T.


“Além de promover atividades diversas de divulgação científica, nosso objetivo é estimular a difusão do conhecimento e interesse de jovens e crianças para a ciência e tecnologia, dialogando de forma lúdica e didática com eles”, diz Geraldo Narciso, diretor de Ciência e Tecnologia da Secti.


Em 2011, o tema principal da Semana é “Mudanças climáticas, desastres naturais e prevenção de risco”. Entretanto, as atividades da Feira não se restringem somente ao tema principal, englobando também outros temas. Os visitantes da Feira poderão conferir palestras sobre a física da Tsunami, jogos eletrônicos na educação, aprenderão a como deixar seus computadores seguros e evitar a invasão de hackers, além dos riscos da obesidade, o futuro dos videogames, entre outras.


Além das palestras, o público também poderá se inscrever em oficinas voltadas para todas as idades, onde poderão construir brinquedos através de materiais reutilizáveis, extrair DNA de morangos e outras frutas e discutir sobre responsabilidade social na escola. “A programação científica foi montada pensando em atrair a população, em especial crianças e jovens, em torno de temas e atividades de ciência e tecnologia, valorizando a criatividade, a atitude científica e a inovação”, explica Inez Barbosa, Coordenadora de Difusão e Popularização de C&T da Secti.


A abertura da Feira será feita a partir das 18h do dia 19 e contará com a apresentação do Madrigal da Universidade Estadual do Pará, um grupo acadêmico dedicados a música erudita que chama atenção pelo repertório da música colonial brasileira e da música antiga, além do repertório contemporâneo brasileiro e paraense. Na ocasião, ainda será feito o lançamento e distribuição do Plano Diretor da Secti em versão impressa.


Clara Pandolfo

Em 2011, é comemorado o ano internacional da química e a homenageada da Feira de C&T neste ano é a primeira mulher a se formar em química na Região Norte e uma das cinco primeiras no País. Clara Pandolfo foi uma cientista à frente do seu tempo e pioneira em quase tudo o que fez. Destacou-se pela audácia, inteligência e competência mesmo estando na segunda década do século XX em um reduto quase que exclusivamente masculino.


Desde cedo, Clara já mostrava um enorme interesse pela ciência, o que a levou, em 1926 com apenas 14 anos, a ingressar no curso de química da antiga Escola de Chimica Industrial do Pará. Graduou-se em 1929, na última turma da Escola, apresentando o trabalho “Contribuição ao Estudo Químico de Plantas Medicinais da Amazônia”. Após a formação, Clara trabalhou como colaboradora do professor Paul Le Cointe em pesquisas tecnológicas sobre matérias-primas regionais.


Por mais de 20 anos, Clara Pandolfo exerceu atividades nos Laboratórios de Bromatologia e de Hipodermia da Diretoria de Saúde Pública do Pará e do Laboratório de Biologia da Santa Casa de Misericórdia do Pará. Durante esse período, a pesquisadora realizou também estudos sobre espécies oleaginosas da Amazônia. O que viria a ser um dos seus principais projetos e contribuições para o Estado anos mais tarde.


Quando nem se ouvia falar em manejo florestal sustentável, Clara já desenvolvia pesquisas nesse sentido, denominadas de Florestas de Rendimento, o qual previa a exploração sustentável e consciente da floresta amazônica. Os conceitos de Ecologia e Economia foram utilizados pela primeira vez juntos, para se falar do uso racional dos recursos e riquezas da floresta, bem antes da expressão largamente adotada atualmente, desenvolvimento sustentável.


Clara tinha uma paixão: a Amazônia e, por isso, foi sempre uma defensora da região, tornando-se uma das maiores autoridades em Amazônia no século XX.


Mostras

Como prévia da Feira de C&T, a Secti vem realizando atividades itinerantes pelo interior do Estado. A Mostra Clara Pandolfo de Ciência e Cultura já percorreu os municípios de Marituba, Salvaterra, Santa Bárbara, Castanhal, Capanema e Abaetetuba. As atividades da Mostra já chegaram a mais de cinco mil crianças e jovens nos seis municípios. A próxima parada do evento será em Igarapé-Miri nos dias 28 e 29 de setembro.


Raphael Freire - Secti



Imagem: 
Imagem ilustrativa da notícia.

Imprimir este Conteúdo